-  Projeto - 2010

Diário de Viagem - (142)

     Bruxelas - Belgica
     Período: 19/07/2010 a 19/07/2010



Bruxelas é berço de ouro da Europa. A capital cultural da Bélgica oferece tudo o que os roteiros famosos oferecem com a diferença de ter emoções para todos os gostos, ótima cerveja e divinos chocolates em cada esquina que você passar.
A cidade acolhe o palco da Comissão Européia (no edifício Berlaymont) e o Conselho Europeu (no edifício Justus Lipsius). Além disso, cerca de 75% do trabalho do Parlamento Europeu tem lugar em Bruxelas.
Aliás, Bruxelas tem nada menos do que 75 museus que falam de tudo um pouco, de histórias em quadrinhos a cerveja, passando pelo chocolate. É só você escolher aquele que mais lhe agrada e partir para a visitação. Um capital para lá de cultural!
Algumas atrações de Bruxelas: -x-x-x-x-x- . O Atomium, uma estrutura metálica com 103 metros de altura, forma parte da paisagem de Bruxelas. O monumento foi criado pelos arquitetos André Waterkeyn e Joan Polack para a Exposição Universal de Bruxelas, em 1958, e representa uma molécula de ferro ampliada 165.000 milhões de vezes. Além de apreciar sua impressionante imagem, é possível percorrer seu interior, passando pelos tubos e por seis das nove bolas gigantes que o formam. A esfera mais alta oferece uma boa vista panorâmica da cidade.
Ao lado do Atomium, está outra preciosidade, o Mini-Europe. Aqui você pode gritar olé em uma arena de Sevilla, passear de gôndola pelos canais de Veneza ou quem sabe conhecer o Big Ben, a Torre de Pisa e até mesmo o Portão de Brandenburg. São cerca de 350 miniaturas de pontos turísticos de todo o mundo num só lugar.
O Edifício Berlaymont é a sede da Comissão Europeia em Bruxelas. Aí situam-se o gabinete do Presidente e os respectivos gabinetes dos vinte e seis comissários.
A Grand Place é o centro geográfico, histórico e comercial de Bruxelas, e o primeiro local a ser visitado por quase todos os turistas. Esta movimentada praça empedrada mantém-se o centro cívico da cidade, passados séculos da sua criação, e o melhor exemplo da arquitectura belga do século XVII.
No século XI realizavam-se mercados ao ar livre e no final do século XIV foi construída a Câmara Municipal de Bruxelas, o Hôtel de Ville (Town Hall), e os comerciantes acrescentaram sedes de guildas numa mistura de estilos.
Em 1695, dois dias de intensos bombardeamentos franceses destruíram tudo excepto a Câmara Municipal e duas fachadas de guildas. Os comerciantes reconstruíram as suas salas em estilos aprovados pelo Conselho Municipal, originando a harmoniosa unidade de edifícios da Renascença flamenga que vemos hoje. Considerada uma das mais belas do mundo, a Grand Place foi construída onde antes ficava o antigo mercado dos grêmios de ofícios (padeiros, carpinteiros, etc.). Seus monumentos e edifícios datam do século XVII, mas só a Prefeitura de Bruxelas e algumas fachadas resistiram aos bombardeios franceses de 1695. Reconstruída alguns anos mais tarde, conta agora, com uma arquitetura eclética.
Construída entre 1402 e 1455, a Prefeitura domina a cidade com sua torre de 96 metros de altura. No ponto mais alto é possível ver a estátua de St Michel, o santo padroeiro de Bruxelas, vencendo o diabo. O interior, rico em tapeçaria e objetos de arte, está aberto a visitas guiadas.
Em frente, está situada a Casa do Rei, que também data do século XV, mas foi reconstruída quase totalmente em 1873. Dentro, se encontra o Museu de Bruxelas, que conta a história da cidade, através de uma vasta coleção. A dois passos da Grand Place, prepare-se para admirar o célebre Manneken Pis. Essa estátua, que não supera os 60 centímetros, de um menino fazendo xixi dentro de uma fonte, é extremamente famosa na Europa. A estátua original foi colocada no alto da fonte em 1619 e existem várias lendas sobre sua origem. Alguns contam que um menino salvou Bruxelas de um incêndio com seu xixi, apagando a chispa de uma bomba inimiga. Outros asseguram que um rico burguês da cidade perdeu seu filho nas ruas do centro e, finalmente, o encontrou na posição em que se encontra a estátua hoje.
Símbolo da cidade, é tradição que os diplomatas e responsáveis políticos ofereçam uma roupa ao Manneken Pis quando estão em Bruxelas. Em realidade, a estátua passa a maior parte do tempo vestida. E os modelos podem ser bastante divertidos: Drácula, Papai Noel, piloto de fórmula 1, tudo depende da estação e do contexto. A coleção de trajes pode ser vista no Museu da Cidade.
Cathédrale St Michel et Ste Gudule A Catedral de Bruxelas foi erguida no século IX em homenagem a São Michel, no centro de Bruxelas.
Dois séculos mais tarde, as relíquias de Santa Gudule foram transladadas ao templo e seu nome, modificado. O que se poder ver agora, em realidade, data do século XII, quando foi reconstruída.
Depois de numerosas restaurações, a catedral impressiona por suas duas torres e dimensões gigantescas, de estilo gótico e renascentista. Além de celebrações religiosas, recebe atuações musicais, encontros e espetáculos artísticos. Assim a igreja se vincula de maneira ativa à vida social da cidade.  Nosso roteiro, Cidades pelas quais já passamos e iremos passar... Palácio Real, Palais Royal Construído em 1820, o Palácio Real de Bruxelas é a residência oficial da família real da Bélgica. Em 1904, o rei Leopoldo II ordenou um grande trabalho de renovação e ampliação do palácio, já que o lugar devia representar a grandeza da monarquia belga. Além de ser sua residência oficial, o Palácio Real também é o lugar de trabalho do rei, assim como o local onde se celebram as recepções oficiais.
Hoje (23/07) fizemos um Golden Tours pela Brussels Sightseeing iniciando pela Gare Central, Catedral Saint Michel, Royale-Konning, Sabion-Zavel, Louise-Louiza, Palais de Justice, Parlamento Europeu, AutoWorld, Museo de Armas, Shuman, Quartel Europeu, Congresso (coluna do Congresso) jardim Botânico, Rua Neuve (rua da moda) Atomium, Jardim Mini-Europa, Jardim Japonês, Palácio da Bolsa, Saint Jean (manneken pis) e finalmente Gare Central, um passeio de 1 hora e 30 minutos.

Mendes e Rosa Maria    

Mendes  @   Rosa Maria

Voltar para Fotos     Home