Diário de Viagem - 110/119 - 23/12/2006      Paris


 -x-x-x-x-x- . O centésimo décimo dia de jornada começou por volta das 9:30 horas da manhã, uma manhã bastante fria, vento gelado e perspectivas de um dia pouco ensolarado.
Nossa caminha nos levará a Gare de Monteparnasse onde pretendemos conseguir informações sobre a viagem para Liseux e Mont Saint Michel, Mont Saint Michel sai de Montparnasse e Liseux da Gare Saint Lazare que fica próximo das grandes lojas comerciais.
Em Montparnasse esta instalado uma pista de gelo onde estavam patinando no gelo crianças e jovens, isto por volta das 10:30 da manhã.
O frio esta tão intenso que as pombas (aves) ficam pousadas sobre as grades dos respiradouros de ventilação do metro.
Nossa caminhada nos levou a Paróquia Saint François Xavier.
Nesta Igreja o presépio deve ter aproximadamente umas mil peças, muito colorido, é uma Igreja bastante grande, muito bonita, com grandes painéis pintados em suas capelas, cada uma das capelas tem ao fundo um grande vitral.
Atrás do altar principal existe uma capela na qual a imagem principal é de Nossa Senhora com o Menino Jesus.
Passamos pelos Jardins de Breteuil que estão na frente da Igreja du Dome que faz parte do Hotel des Invalides.
Aqui existe um grande conjunto representativo da história da França, de Luis XIV a Napoleão III, Tumulo de Napoleão, Armas e Armaduras Antigas
. O Edifício - Até a época de Luis XIV não existia nenhuma fundação particular destinada a recolher os soldados inválidos.
Em 1671, Luis XIV decide criar os Inválidos, destinados a recolher os veteranos das suas guerras.
A direção dos trabalhos é confiada ao arquiteto liberal Bruant e a partir de 1674, os primeiros pensionistas instalam-se nos edifícios.
Em 1677, inicia-se a construção da Igreja que será divida ulteriormente na Igreja dos Soldados e na Igreja do Domo.
Estes trabalhos serão concluídos sob a direção de Jules Hardouin-Mansat em 1706.
A vida dos Inválidos - verdadeira cidade em miniatura regida segundo um sistema militar e religioso.
Os inválidos recolhem no final do século XVII até 4.000 pensionarios.
Enquadrados pelos seus oficiais, dividem-se em companhias e animam oficinas de sapataria, tapeçaria e iluminura.
Atualmente, a instituição nacional dos inválidos, hospital militar, persegue a vocação inicial da fundação.
A Igreja dos Soldados - Abrindo sobre o átrio de honra, a Igreja de Saint Louis, ou a Igreja dos Soldados, oferece-nos um belo exemplo de arquitetura clássica.
Uma sucessão de bandeiras tomadas ao inimigo no decorrer das campanhas dos séculos XIX e XX encontra-se suspensa às cornijas.
A caixa do órgão de 1679 é particularmente notável.
A Igreja do Domo - é a partir de 1677, sob a direção do arquiteto Jules Hardoin-Mansart que é edificada a Igreja do Domo cujo lanterrnin culmina a 107 metros de altura.
Em 1989, o Domo e os seus ornamentos foram dourados de novo: "foram necessários 12 quilos de ouro para levar a cabo esta obra".
No interior, sob a cúpula, o grande fresco pintado por Charles de Fosse foi restaurado recentemente.
A Igreja do Domo tornou-se Panteão Militar e abriga, em volta do tumulo do Imperador Napoleão, as sepulturas de militares celebres como Turenne, Vauban, Foch, Lyautey e familiares do Imperador, o seu filho, o Rei de Roma, os seus irmãos Jerome e Joseph, os generais Bertrand e Duroc.
O Tumulo de Napoleão - Em 1840 é decidida a transferência do corpo do Imperador Napoleão da Ilha de Santa Helena para Paris.
A Igreja do Domo é escolhida para abrigar o seu tumulo, encomendado ao arquiteto Visconti.
O monumento funerário é acabado em 1861, e é nessa data que ai serão sepultados os restos mortais do Imperador que repousa em cinco urnas sucessivas: (uma em ferro branco, outra em acaju, duas em chumbo e uma em ébano), dispostas no interior de um bloco majestoso de porfiro vermelho da Finlandia.
A sua obra militar é representada pelas " Vitórias " que rodeiam a cripta e cujos nomes estão gravados no mármore do solo: Austerlitz, Lena, Marengo...
A sua obra militar encontra-se inscrita nos 10 baixos relevos esculpidos por Simart ornando as paredes da cripta (pacificação da nação, centralização administrativa, conselho de estado, código civil, concordata, universidade imperial, tribunal de contas, código comercial e da indústria, obras publicas, legião de honra).
Sob a estatua do imperador repousa o seu filho, o Aguioto.
Armas e armaduras antigas - Sala das coleções da coroa, Sala Medieval, Sala Luis XIII, Galeria do Arsenal, Sala de Caça, Justa e Torneios, os Gabinetes Orientais, o Gabinete dos Arcabuzes e dos Mosquetes e a Sala da Europa entre milhares de informações sobre armas e principalmente sobre as guerras travadas pela nação francesa e particularmente sobre a sua participação na Segunda grande Guerra Mundial.  Nosso roteiro, Cidades pelas quais já passamos e iremos passar... Passamos pela Esplanada dos Invalides e passamos pela Pont Alexandre III que nos levou ao Petit Palais e ao Palais de La Decouvert, mais conhecido como Grand Palais.
Cruzamos a Av. des Champs Elysees e seguindo pela Av. de Marigne passamos pelo Palais de L' Elisees, e a nossa frente estava o grande edifício do Ministério de L' Int.
Chegamos a Place Saint Augustin, na qual esta situada da Igreja de Saint Augustin.
A Gare Saint Lazare estava a nossa frente, lá conseguimos informações sobre horário, custo e freqüência de trens para Lisieux.
Ao sairmos seguimos pelo Boulevard de Haussmann no qual estão grandes lojas, tais como Fenac, Printemps e a famosa Galeria Lafayete.
Nesta rua o movimento era intenso, sendo quase impossível circular.
Nas grandes vitrines, muitas decoradas e preparadas com atrativos infantes, tais como bonecos e peças em movimento.
Conseguimos observar que internamente também se repetia o mesmo movimento de pessoas nas lojas.
Após um pequeno lanche que conseguimos fazer por volta das 15:30 horas seguimos para a Igreja de Sainte Trinete.
Seguimos para estação do metro da Saint-Lazare que devera nos levar a nossa estação de Mouton Douvernet.
Passamos pelo nosso fornecedor e após um pequeno abastecimento nos dirigimos ao nosso alojamento para um longo e merecido e aquecido repouso, pois são 17:00 e já é noite com escuridão total.
Passamos no mercado para nos abastecer e encerramos o dia.


Click nas fotos para ampliar.

Mendes  @   Rosa Maria

Voltar para Fotos     Proximo Diário     Home